Atualize-se sobre tendencias e tecnologia Antecipacao criativa a unica forma de criar o inedito

Radiofrequencia gera eficiência.

By | Business, Concorrência, Fashion, Marketing, Oportunidades, Perfotmance, Tecnologia, Textil, Trend | No Comments

RFID – Radiofrequencia alavanca eficiencia na produção e comercialização de têxteis e outros produtos

Foto: Divulgação Revista Costura Perfeita

Código de barras é coisa do passado. Aliás, há tempos ele poderia estar aposentado, já que desde a década de 1990 existem as etiquetas por radiofrequência (RFID, do inglês radio-frequency identification). Essa tecnologia é muito mais ampla e precisa que o código de barras e permite rastrear o produto durante todo o processo de comercialização – do estoque à venda ao cliente. No entanto, apesar das inúmeras vantagens, só agora a tecnologia está mais acessível ao mercado, especialmente dentro do setor têxtil e confeccionista.

Etiqueta Adesiva

Etiqueta Adesiva

Em agosto do ano passado, a empresa iTag Tecnologia expôs ao público da Febratex sua linha de produtos de radiofrequência. Edson Jaccoud, diretor-executivo da Threesale, e distribuir da iTag, revela como as etiquetas funcionam. “A tecnologia RFID implementada pelo software iTag permite a leitura em lotes e até em caixas fechadas. Isso graças à capacidade que o chip tem de emitir uma frequência de rádio. Assim, a leitura deixa de ser individual, como ocorre no código de barras, e passa ser em lotes. Pode ser feita num carrinho, numa caixa, e assim por diante. Não é preciso escanear cada peça, ou seja, isso elimina horas de operação, espaço, e também o número de pessoas que fazem conferências”, ressalta.

A iTag levou seis anos para ser criada e testar seus sistemas, portanto, ao chegar no mercado, já traz vantagens especiais principalmente para o setor têxtil e confeccionista. “A indústria da moda é considerada uma das mais adequadas para a implementação da Tag-RFID. Isso porque essa tecnologia permite obter informações em tempo real, contagem e validação dos itens apenas passando o leitor nas caixas. Além disso, todo o processo desde a fabricação até a distribuição, incluindo segurança antifurto, está coberto pela tecnologia iTag”, ressalta.

QUEM PODE USAR
A aplicação das etiquetas inteligentes é simples. Elas podem ser adesivas ou costuradas, como explica o diretor da Threesale. “A aplicação da etiqueta inteligente pode ser feita na hora do acabamento. Temos também etiquetas adesivas e costuráveis, ambas com a função de controle de entrada e saída. Existe ainda a possibilidade de adotar a etiqueta em processos de produção para controlar lotes de partes dos produtos, como, por exemplo, controlar tecidos coloridos para que sejam costuradas peças de mesmotingimento”, detalha. A tecnologia está disponível para a indústria, o varejo e o atacado de qualquer segmento. Segundo o diretor-executivo da Threesale, o investimento inicial gira em torno de R$ 20 mil.

Especializada há quase 30 anos em atacado de moda bebê e infantojuvenil, a Brascol adotou a identificação por radiofrequência (RFID) há mais de um ano. Antônio Almeida, superintendente da companhia, diz o que mudou de lá para cá: “Aumentamos o controle geral sobre as movimentações, reduzimos o número de check-outs e diminuímos em 50% o número de operadores. Hoje, conseguimos passar o dobro de mercadorias no mesmo intervalo de tempo. Vamos inclusive ampliar a utilização da tecnologia para outras áreas da empresa”, aposta.

O uso da tecnologia rendeu à Brascol o Prêmio Automação, promovido em novembro pela GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação. O prêmio teve o apoio da iTag.
Ficamos muito orgulhosos com o convite para participar do Global Standards GS1. Com esse prêmio, temos certeza de que estamos no caminho certo. Vamos continuar investindo em tecnologia, inovação e gestão de pessoas”, garante Almeida.

Para mais detalhes, acesse http://promo.threesale.com/case-brascol

PING PONG, MASCULINA DE FASHION WEAR.

By | Fashion, Textil, Trend | No Comments

UM RELATÓRIO DA EDIÇÃO DE PING PONG, MASCULINA PITTI IMMAGINE UOMO.


Pitti-Immagine-Uomo

 

Duas vezes por ano, o evento Pitti Uomo gera um fluxo constante de imagens em estilo de rua de homens vestindo ternos apertados, equipados com faixas ou echarpes, gravatas coloridas,chapéu e pulseiras. Diga ‘Pitti’ e imediatamente terá uma imagem na mente de um olhar instantaneamente reconhecível como “dandy” stylish Pitti.

  • Com aproximadamente 1.090 expositores e marcas e 30.000 visitantes sendo 8% dos compradores italianos.

Divirta-se com este e-Book e tire proveito dele para o seu Negócio.

O Carlin Groupe através dos EXPERT-CARLIN-STYLE: dirigidos por Natalie Weinmann, Diretora do Departamento de Style Menswear, deseja contribuir de forma decisiva, para uma melhor assertividade em suas coleções.

  • eBOOK Pitti Immagine Uomo INTEIRAMENTE GRÁTIS

    Baixe o seu exemplar INTEIRAMENTE GRÁTIS do eBook Report e aumente seus lucros fazendo ou comprando apenas aquilo que é certo que seu cliente vai querer comprar.

download (1)

Desempenho da indústria têxtil e de confecções

By | Business, Concorrência, Fashion, Marketing, Perfotmance, Textil | No Comments

Estudo revela dados sobre desempenho da indústria têxtil e de confecções. Pesquisa mostra que, em 2012, o valor das vendas industriais dos segmentos têxtil e de confecções foi de R$ 46,5 bilhões Redação.

20/06 2013,

O uso da capacidade instalada pela indústria têxtil e de confecções tem se mostrado em níveis superiores a 80%, aliado aumento no número de empregos e evolução de faturamento se opõem a informações recentes de que o setor está vivendo sua maior crise.

Ao contrário, o cenário mostra plena utilização da capacidade instalada e aumento de empregos no setor de confecções nos últimos anos. Mas os baixos índices de investimento em inovação e treinamento para formação e retenção da mão de obra preocupam o grande varejo e ameaçam o atendimento à demanda crescente, penalizando o consumidor final.

É o que mostra um novo estudo elaborado pela FGV Projetos que está sendo apresentado a representantes do governo pela ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil). “Buscamos com este trabalho uma análise independente e especializada que pudesse mostrar a realidade do setor”, comenta a ABVTEX.

O trabalho intitulado Análise da Estrutura Setorial da Cadeia Têxtil Brasileira e Perfil de Consumo de Artigos de Vestuário mostra que, em 2012, o valor das vendas industriais dos segmentos têxtil e de confecções foi de R$ 46,5 bilhões. Esses dois elos da cadeia empregaram pouco mais de 1 milhão pessoas. No varejo, o nível de emprego em 2012 foi de 670 mil pessoas.

Entre 2007 e 2012, o segmento de confecção apresentou crescimento de 8,9%, sendo que o volume de vendas do varejo de artigos têxteis e de vestuário cresceu 3,9% ao ano em média.

O indicador de utilização da capacidade instalada nos dois segmentos industriais (têxtil e de confecções) revela que o setor trabalha a plena capacidade.

Ressalta-se também que o gasto estimado anual das famílias brasileiras com esses produtos em 2012 foi da ordem de R$ 102 bilhões. Esse valor representou 3,7% das despesas de consumo das famílias, parcela superior aos gastos com itens como medicamentos e eletrodomésticos.

O relatório da FGV exibe os resultados obtidos a partir de séries históricas referentes aos três elos produtivos da cadeia: o varejo e as indústrias que o suprem, têxtil e de confecções.

Nível de emprego na indústria cresce.

Mais um dado surpreendente do estudo da FGV Projetos está relacionado ao nível de emprego da indústria. A análise detalhada mostra que o nível de emprego formal nos três elos analisados no estudo superou em 2012 a marca de 1,7 milhão de postos de trabalho, o que representa 3,7% do total de empregos formais ativos no Brasil neste ano. Destacando apenas o varejo têxtil, os 693 mil empregos ativos em 2012 representavam 10,6% do total de posições formais ofertadas pelo comércio varejista como um todo no país.

Desde 2007, o crescimento médio do emprego no setor foi de 3,6% ao ano, o que resultou na criação de 277 mil novos empregos no período. A dinâmica do emprego em cada um dos segmentos foi bastante distinta.

Gráfico 5.1.1

Evolução anual do emprego na cadeia têxtil brasileira – 2007-2012

textil1

textil1

* Estimativa FGV

Fonte: RAIS e Caged / MTE. Elaboração: FGV

O gráfico acima apresenta a evolução do número formal de empregados nos três elos da cadeia têxtil, bem como do emprego total. No setor têxtil, nota-se a estabilização do emprego. Já na indústria de confecção, o crescimento foi de 3,7% ao ano em média e foram criados 123 mil postos de trabalho formais no período. A grande expansão do emprego formal, isto é, com carteira de trabalho assinada, se deu no varejo, com 5,3% de crescimento médio ao ano e a criação de 157 mil postos de trabalho formais.

O estudo nota que o segmento de confecção tem passado por um forte movimento de formalização de sua mão de obra, fato que explica o bom desempenho do emprego com carteira assinada.

PIB Setorial é positivo, mas investimentos não priorizam mão de obra

O PIB da cadeia têxtil em 2012 atingiu R$ 38,3 bilhões e estava distribuído da seguinte forma:

• Fabricação de produtos têxteis: R$ 8,1 bilhões;

• Confecção de artigos de vestuário e acessórios: R$ 9,5 bilhões;

• Varejo de produtos têxteis e de confecção: R$ 20,7 bilhões.

Entre 2007 e 2012, o PIB do setor têxtil caiu 3,4% ao ano em média, já descontada a influência dos preços. No entanto, no segmento de confecção e no varejo houve crescimento de 5,3% e 5% na mesma base de comparação, respectivamente.

A despeito dos resultados, os investimentos do segmento têxtil mostram-se bastante tímidos, somando R$ 1,1 bilhão. Na indústria de confecções, esse número foi de R$ 615 milhões ou 23,3% do total. Já no varejo, o investimento foi de R$ 910 milhões ou 34,4% do total.

A queda no investimento no segmento têxtil tem limitado o acesso à inovação no segmento, uma vez que as empresas desse ramo apontam a aquisição de máquinas e equipamentos como a principal fonte de acesso a novas tecnologias. No ramo de confecção, apesar da importância atribuída ao treinamento como forma de acesso a inovações, os gastos das empresas com esse tipo de atividade ainda é limitado.

Segundo a ABVTEX, a falta de investimentos da indústria em inovação e treinamento de mão de obra são muitos preocupantes e comprometem o futuro da cadeia. Não adianta investimentos em maquinário sem uma mão de obra preparada para utilizar as tecnologias. O componente humano é ainda fator chave nesta cadeia”, informa a ABVTEX.

Importações suprem demanda

O comércio exterior brasileiro de artigos têxteis e de confecção tem sido deficitário nos anos recentes. Esse desequilíbrio chegou a US$ 2,9 bilhões em 2012, sendo US$ 2,2 bilhões referentes a artigos de vestuário e US$ 737 milhões relativos artigos de tecelagem. A alta cambial registrada desde o final de 2011 não alterou a tendência de piora desse saldo negativo.

Especialmente no segmento têxtil, o crescimento das importações tem contribuído para suprir o descompasso entre o crescimento da demanda das famílias e a produção industrial

É importante destacar que o crescimento das importações de têxteis e vestuário está em linha com um movimento mais geral, observado no comércio exterior brasileiro como um todo. Assim, considerando o período 2006-2012, o valor total das importações brasileiras passou de US$ 7,6 bilhões para US$ 17,5 bilhões, o equivalente a um crescimento médio anual de quase 15% ao ano. Ao par disso, as importações de bens de consumo em geral passaram de US$ 997 milhões para US$ 3,2 bilhões, apresentando crescimento médio anual de 22%. Por sua vez, as importações de têxteis e vestuário cresceram 22,6% e 35,3%, respectivamente, no mesmo período.

“Apesar de expressivas, essas taxas de crescimento das importações de têxteis e vestuário cumpriram papel importante no abastecimento do mercado interno brasileiro no período”, destaca a FGV Projetos. Assim, segundo dados da PMC (Pesquisa Mensal do Comércio) do IBGE, entre 2006 e 2012, o volume de vendas do comércio varejista de artigos têxteis, vestuário e calçados cresceu cerca de 5% ao ano em média. Com isso, em 2012, o mercado nacional desses produtos era cerca de 1/3 maior do que no início do período.

Gastos das famílias

Do gasto total das famílias brasileiras com artigos da cadeia têxtil, 45,2% se referem à compra de artigos para mulheres. Seguem-se os gastos com aquisição de roupas masculinas (36,1% da categoria), infantis (17%) e os tecidos e artigos de armarinho (2%).

Regionalmente, os gastos das famílias com artigos da cadeia têxtil concentram-se no Sudeste (46,3% do total). Seguem as regiões Nordeste (20,6%), Sul (18,9%), Norte (7,2%) e Centro Oeste (6,9%).

Considerando os estratos de renda, as famílias com ganhos de até 3 salários mínimos respondem por 16,1% dos gastos com artigos têxteis e de vestuário. As faixas entre 3 e 10 salários mínimos representam 44,2% desse total e aquelas com renda acima de 10 salários mínimos, 39,7%.

Hà um descompasso entre os números do varejo e da indústria. O aumento de renda das famílias e a consequente expansão do mercado consumidor não têm sido acompanhados do crescimento da produção indústria, daí a necessidade de importar artigos de confecções para garantia de abastecimento”, analisa a ABVTEX.

À plena capacidade

Como regra, a utilização da capacidade instalada no segmento têxtil se manteve sempre acima dos 80%.

Gráfico 2.3.3

Evolução da utilização da capacidade instalada – média móvel dos 4 últimos trimestres (2000 – 2012)

textil2

textil2

Fonte: FGV

O segmento de vestuário e calçados apresentou uma tendência crescente de utilização da capacidade instalada, de forma que, no final do ano de 2012, estava muito próximo do valor mais alto da série histórica analisada. Esse aumento foi uma resposta do setor industrial ao crescimento do comércio. “A utilização da capacidade instalada superior a 80% por quase todo o período observado nos dois segmentos, indica que o setor apresenta pouca ociosidade e que, portanto, aumentos de produção para responder a elevações da demanda, no curto prazo, poderiam pressionar os preços”, diz o estudo.

Conclusões

O estudo conclui que o setor brasileiro de produtos têxteis e de confecções constitui uma das cadeias produtivas mais importantes da indústria brasileira, tanto por conta do número de empregados quanto pela relevância de seus produtos na atividade do varejo e nos gastos das famílias.

Em paralelo, o crescimento real da renda, sobretudo nos estratos mais pobres, tem garantido forte expansão do comércio. As taxas de crescimento do varejo têxtil e de confecções só têm ficado abaixo da média do comércio em geral por conta do desempenho excepcional de segmentos como o de automóveis, produtos da linha branca e materiais de construção, fortemente estimulados por medidas de desoneração que se intensificaram após o início da crise financeira internacional em 2008.

No segmento de confecção, o estudo conclui que o grande desafio encontra-se na conciliação de ganhos de qualidade, em linha com as exigências dos consumidores finais, com ganhos de produtividade, imposição da concorrência externa. Estes últimos devem resultar da intensificação dos esforços de treinamento de mão de obra e de uma colaboração intensa e contínua com o próprio varejo, canal natural de contato com os consumidores finais. Nesse sentido, é fundamental garantir a continuidade do processo de formalização das empresas de confecção, processo com o qual a atuação responsável das empresas do varejo pode contribuir como fator indutor decisivo.

Por fim, no ramo têxtil, o estudo afirma que é urgente recuperar os níveis de investimento que caíram desde o início da crise internacional. Dado que os diferenciais de salário são francamente desfavoráveis à indústria local em um comparativo internacional, a modernização do parque produtivo surge como mecanismo preferencial de modernização as técnicas produtivas, abrindo espaço para a recuperação dos ganhos de produtividade. Só assim será possível às empresas desse segmento fazerem frente ao desafio competitivo das importações e buscarem elas próprias explorar possibilidades de ganho no mercado internacional.

“As dimensões do mercado brasileiro de produtos têxteis e de confecção permitem explorar as oportunidades de operar em escala. Mas essa vantagem de um mercado interno grande e em expansão deve servir de fundamento para estratégias de internacionalização, não de fechamento. O acesso das famílias brasileiras de maior renda a produtos estrangeiros, sobretudo por ocasião de suas viagens internacionais, deixa explícito o diferencial competitivo entre o mercado brasileiro e muitos mercados internacionais de produtos de vestuário”, afirmam os analistas.

Acesso aos mercados internacionais via exportação e importação, atenção crescente às exigências dos consumidores, treinamento e investimento com ganhos de produtividade. “Essa é a síntese da cadeia brasileira de produtos têxteis e de confecção em um cenário ideal”, destaca a FGV Projetos.

Fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/negocios/estudo-revela-dados-sobre-desempenho-da-industria-textil-e-de-confeccoes/78079/

O “pavoneando” mundo Pitti Uomo

By | Concorrência, Fashion, Marketing, Perfotmance, Tecnologia, Textil, Trend | No Comments

Há muito para ser dito sobre o pavoneando no Pitti Uomo, a feira de moda masculina semestral em Florença, Itália.

Mas nenhum evento no mundo teve um amplo impacto no modo como os homens se vestem e se comportam como o circo em torno da feira Pitti. Duas vezes por ano, o evento Pitti Uomo gera um fluxo constante de imagens em estilo de rua de homens vestindo ternos apertados, equipados com faixas ou echarpes, gravatas coloridas,chapéu e pulseiras. Diga ‘Pitti’ e imediatamente terá uma imagem na mente de um olhar instantaneamente reconhecível como “dandy” stylish Pitti.

O vídeo abaixo mostra o que ‘quente’ nesta temporada entre os ‘homens’ Pitti

Pitti-Paraiso-Pink

A Casa da moda francesa, Dior Homme lançou sua coleção Spring / Summer 2015 lookbook vídeo.
A diretora criativa Kris Van Assche nos mostra uma prévia das ofertas da próxima temporada, que vão desde malhas rodada no pescoço com nervuras para o casaco de lã vermelha, a partir de uma parka para jumpers de cabo de malha, a partir do revestimento de couro para jeans e botas pretas de couro, tudo em tons negrito, vermelhos, amarelos e verdes, além do navy clássico, preto e cinza.
Defina com a melodia de “Ocean Death” por Banheiros, a coleção é mostrada fora contra um céu azul em uma semi-escola como parque infantil. A coleção 2015 Dior Homme Primavera / Verão está disponível em lojas selecionadas.

Para saber o que vai acontecer no proximo verão depois deste, com a antecerência necessária a fazer criações ineditas que diferencia seus produtos dos demais e lhe renda muito mais lucro que os baseados no varejo internacional você precisa do nosso manual e da nossa metodologia.

Assine nossa news e participe dos nossos eventos, você tem a ganhar!

 

Baixe um eBook Grátis com muito mais informações sobre este tema:

download (1)

O Criativo e Talentoso

By | Fashion, Textil, Trend | No Comments

Ele vai ser o seu inspirador!

Talentoso e pensativo O MENSWEAR SS16 será o melhor Parceiro Criativo e pragmático de suas coleções. Casual como Cidade.

Podemos apresentá-lo a você. Agende um horário pelo tel. (11) 99908 6493.

E-mailing-Men--JPEGW2

 

Conferência Carlin, próximas

By | Business, Fashion, Marketing, Oportunidades, Perfotmance, Textil, Trend | No Comments

Agradecemos a todos que participaram da nossa Conferência Internacional Carlin em São Paulo durante a Premiere Vision.

Se você não pode ir e gostaria de ser convidado para as proximas aproveite a oportunidade de conhecer agora o que irá acontecer nas próximas temporadas enviando um e-mail para [email protected] e pedindo sua inclusão na lista de convidados.

Nestes eventos nos informamos as cores chaves, materiais e estilos para as próximas temporadas. Você vai poder admirar os livros, tocá-los e fazer anotações, confirmar o que você esta desenvolvendo e ainda terá uma oportunidade de trocar experiências comigo e com minha equipe e os demais participantes presentes.

PV_2014A900x-500

 

Forum-Febratexb-600x

BÔNUS ESPECIAL PARA INSCRIÇÕES ANTECIPADAS

Você vai poder admirar os 12 livros VERÃO 16, tocá-los e fazer anotações, confirmar o que você esta desenvolvendo.

SS16-TREND-COLORS-W600x

BOOKS-SS15-600X

O mundo mudou, obrigado!

By | Business, Concorrência, Fashion, Marketing, Perfotmance, Sem categoria, Tecnologia, Textil, Vendas | No Comments

Estamos muito contentes
e desejamos compartilhar com você nossa alegria!

Na ultima sexta feira dia 03/10/14 recebemos a noticia de que o jornal mais respeitado do mundo em materia de RFID classificou o Case Brascol, implantado pela iTag Tecnologia, a qual a Threesale tem orgulho de representar, como o segundo maior caso de implantação bem sucedido.

“Em termos de escala, é uma das maiores implementações de RFID UHF passivas até agora, menor talvez apenas que a Marks & msSpencer” com lojas por toda a Inglaterra e muitos outros países como Alemanha, França, Emirados Arabes, Armenia, Bahren, China, Croacia, Egito, Grecia, Hong Kong, India, Indonesia, Irlanda, Libano, Jordania, Malasia, Macau, Kuwait, Koreia do Sul, Eslovakia, Espanha, Tailandia, Turkia, Vietinã etc…  Essa é a opinião de Mark Roberti o fundador do RFID JOURNAL MUNDIAL o fundador e editor do RFID Journal, depois de visitar a Brascol na semana passada.

É muito bom ser comparado com gente grande assim e elogiado por quem conhece o mercado mundial.

Assim, não podiamos deixar de lhe enviar o link para esta matéria e dividir com você a opinião de um grande especialista e os argumentos que ele apresentou para tal afirmação.

Chamo sua atenção para o texto quando ele diz, que “em 2002 no projeto Gillete “não acreditaram nele ” , e hoje ele pode mostrar para o mundo que É POSSÍVEL um projeto de RFID, em plena operação”.

OBRIGADO, em nome da iTAG a todos que estão conosco nessa caminhada, parceiros, fornecedores, colaboradores clientes e amigos.

Convidamos você também para conhecer pessoalmente este Case Brascol.

Segue a matéria na íntegra:

VERSÃO EM PORTUGUÊS.
http://brasil.rfidjournal.com/notas-do-editor/vision?12268/1
VERSÃO EM INGLÊS.
http://www.rfidjournal.com/articles/view?12214

Ta chegando, Première SP!

By | Concorrência, Fashion, Oportunidades, Textil, Trend | No Comments

Vem ai, Premiere Vision São Paulo

Dias 4 e 5 Novembro, venha nos visitar

Chegando à sua 10ª edição, o Première Vision São Paulo é o ponto de encontro dos decision makers da moda brasileira e latino-americana, reunindo os melhores fabricantes de fios, fibras, tecidos, malhas, acessórios, estúdios de design e bureau de tendência, selecionados segundo os critérios de qualidade e criatividade Première Vision.

O Première Vision é reconhecidamente o salão que reúne a melhor oferta em tecidos e acessórios têxteis com qualidade e criatividade para a cadeia têxtil-moda, em todas as cidades em que está presente. Para o mercado latino-americano, o salão de São Paulo traz fornecedores de diversos países com produtos que, sem dúvida, vão servir de base para a diferenciação das coleções de moda. É através destes materiais de alto valor agregado que as marcas latino-americanas ganham cada vez mais competitividade internacional”, diz Guglielmo Olearo, diretor dos salões internacionais do Première Vision.

Seja Feliz com Carlin em seu processo criativo

   

Vem gente de todo Brasil e países da América Latina, venha você também!

No nosso lugar de sempre!

Circuit Design Index / Montreal

By | Business, Decor, Educação, Perfotmance, Textil, Trend | No Comments

Circuit Design Index / Montreal vai acontecer em 19 de setembro próximo.

Será um dia inteiro dedicado a descobertas, com atividades e reuniões para designers, arquitetos e amantes de design.

Josiève Forget, Representante do Carlin Groupe

O Carlin grupo fará a palestra do evento sobre as “Tendências, Cores e Texturas” para DECOR das 10:30 às 11:30h, apresentada por Josiève Forget, Consultoria de Tendência do Patty Shapiro & Associates e representante do Carlin Groupe.
Descubra o que esta saindo do forno sobre as principais tendências que irão afetar a sua criação durante a Primavera-Verão 2016.

Para quem se destina?
Para os amantes do design, os designer industriais, os designer de interiores e acessórios para decoração e do Mobiliario, Iluminação e têxteis.

Descubra as quatro principais tendências que vão influenciar a sua prática no Verão 2016 apresentado pela conhecida agência de tendência parisiense: Carlin Groupe.

Objetivos deste encontro:

  • Entender as tendências mundiais a partir do nascimento de uma tendência até a sua evolução;
  • Descubrir as quatro principais tendências que vão influenciar a sua prática para as proximas estações;
  • Saiber mais sobre as diversas ferramentas disponíveis no mercado e sua respectivas utilidades;
  • Uma “Passada de olhos” através das diferentes empresas que oferecem produtos e serviços de tendências.

circuit-index-592x333

 

Mais informações:  http://circuit.index-design.ca/en/special-events/trends-colors-and-textures